Procedimentos estéticos que matam

Procedimentos estéticos que matam

O culto ao corpo ideal leva inúmeras pessoas a passarem a vida toda buscando uma inatingível perfeição. Para isso, principalmente as mulheres recorrem à cirurgias e procedimentos estéticos dos mais variados. No Brasil, são realizadas cerca de 66 mil cirurgias estéticas, sendo que existem cerca de 12 mil pessoas sem qualificação realizando tais procedimentos, causando mutilações e morte de muitos pacientes.

Apesar de saber que a idade é parte da vida e o que o envelhecimento é inevitável, mesmo assim muitas pessoas acabam se submetendo à ditadura da beleza, se tornando verdadeiras escravas e sendo levadas a praticar situações absurdas na busca desse ideal.

Sem querer culpar a mídia, que tem um papel crucial nesse aspecto, é necessário analisar com muita preocupação a grande influência que esses meios de comunicação têm sobre as pessoas, principalmente no que se refere à construção desses padrões ideais de beleza. Sendo assim, desconfie de propagandas ostensivas e enganosas.

Outra grande preocupação é o número crescente de profissionais que não são especialistas ou que não têm boa qualificação para atuar nessa área. Assim, quando esses procedimentos são praticados por pessoas inabilitadas, em condições desfavoráveis, realizados em ambientes inadequados e muitas vezes insalubres, certamente haverá risco para a saúde e bem-estar do paciente, podendo levar até mesmo ao óbito.

Sendo assim, antes de se submeter a qualquer tipo de intervenção estética, investigue, procure saber sobre a competência, experiência, capacidade e qualificação do profissional, pois é assim que se faz uma busca segura e não pelo número de “likes” e seguidores de suas mídias sociais. Priorizar beleza em detrimento da saúde, não é nada bonito!

Dr. Fábio Araújo de Sá – CREMEG: 28610

Deixe uma resposta